Porque você deve perder para Usain Bolt.

Recentemente eu cruzei com um vídeo, na internet, que fazia uma análise do recorde mundial dos 100m de Usain Bolt, em Berlin 2009.

 

O vídeo compara as diferenças entre Bolt e o outro participante, Tyson Gay, que chegou em segundo lugar neste evento. Você pode ver o vídeo aqui.

 

DETALHES, DETALHES, DETALHES.

 

O que mais me chamou a atenção no vídeo é que Tyson ficou em segundo lugar por muito pouco e por causa de detalhes imperceptíveis para um mortal, como eu, que não sabe nada sobre uma corrida de 100m.

 

O primeiro detalhe notado na análise é que Tyson da a largada com o seu torso levemente angulado, enquanto Bolt larga em um perfeito alinhamento de perna e coluna. Isso faz com que ele tenha uma pequena vantagem.

 

O segundo detalhe é o quanto um pequeno músculo chamado “flexor do quadril” se alonga em Bolt.

 

O terceiro é o a direção para onde o joelho dos dois está apontado no momento do primeiro passo.

 

E o quarto detalhe é a altura onde o pé de cada um vai durante o primeiro passo.

 

Todos esses pontos passaram despercebidos para mim quando eu assistir a corrida. Sem a analise profissional, eu simplesmente pensava que Tyson Gay não era tão rápido quanto Usain Bolt e ponto final, sem saber que o que faz a “rapidez” de um e de outro é, na verdade, a combinação destas técnicas bem aplicadas.

 

DERROTA?

 

Eu não sei quais foram os pensamentos de Tyson Gay depois de ter percebido que havia chegado em segundo lugar. Não sei, também, quais foram os seus pensamentos no quarto do alojamento, depois que a adrenalina da corrida passou, mas eu posso imaginar que, em algum momento, ele se fez ponderações do tipo:

 

  • O que eu fiz de errado?
  • Não é possível que eu tenha errado a “técnica x”, depois de tê-la treinado tanto.
  • Eu sabia que devia ter aproveitado aquele dia para treinar mais.

Eu posso imaginar porque isso é o que um ser humano tem a tendência de fazer. É normal.

 

E eu aposto que, depois da corrida, os seus técnicos e treinadores fizeram a mesma analise apresentada no vídeo e mostraram isso para Tyson como quem diz: “Olha, você foi bem aqui, aqui e ali. Você errou nisso, nisso e naquilo. Vamos melhorar o jeito de fazer essa e aquela técnica”

 

VISÃO.

 

E é este feedback dos seus treinadores que me leva à mensagem principal deste artigo. VISÃO.

 

Veja, quando você brincava de corrida com os seus amigos, quando era criança, você provavelmente não tinha a ajuda de um técnico do lado para te orientar e dizer que você poderia vencer todas as corridas se o seu joelho apontasse para a direção certa ou se o você levantasse menos o pé entre um passo e outro. Você só corria o máximo que podia e esperava pelo melhor, certo?

 

Se foi assim que você fez, você desenvolveu uma atitude, um hábito, um comportamento de dar o máximo de si em, pelo menos, algumas situações, para poder sentir o gosto da vitória.

 

Este comportamento é bom, mas não excelente. É claro que ele vai te trazer algumas vitórias, mas se você quiser MESMO obter as maiores delas, você vai precisar expandir o seu raio de visão e dar mais atenção aos detalhes que podem estar te fazendo chegar em segundo lugar.

 

COMO?

 

Ok. Vamos imaginar que, depois que Tyson sentou com os seus treinadores e eles deram a ele um feedback sobre a corrida, ele tenha ganhado um novo insight sobre a sua própria mecânica, como ele funcionou naquela corrida e o que ele precisa melhorar. Agora ele pode treinar exatamente o que precisa treinar, o que precisa desenvolver, para chegar no resultado que ele quer.

 

Agora, eu quero que você se imagine no lugar de Tyson. Pense no resultado que você quer ter. Vender mais? Parar de não ter retorno pelas cotações enviadas? Saber o que dizer quando alguém te joga um “vou pensar e te dou um retorno”?

 

Pensou? Legal! Outra pergunta: Qual é a diferença entre você, aí no seu negócio, e Tyson, na corrida?

 

Se você disse “visão” (como já falamos acima), você acertou! E o que você deve ter percebido também é que essa “visão” mais ampla das coisas não veio de Tyson sozinho… Veio da analise que os seus treinadores fizeram dele e para ele. Sozinhos, nossa visão pode ser limitada.

 

E faço outra pergunta: Tyson foi derrotado mesmo?

 

De certa maneira sim! Ele foi derrotado por Usain Bolt, que chegou em primeiro lugar.

 

Mas pense nisso: Será que Tyson teria conseguido obter insights tão precisos como: “Ah, o seu ‘flexor do quadril’ não se alongou o suficiente e você perdeu 0,0045 segundos aqui, ó.”, se não tivesse se metido em uma corrida olímpica com Usain Bolt?

 

A resposta? Provavelmente não.

 

Ou seja. Se nós não nos “metemos” em áreas um pouco “desconhecidas” ou “arriscadas”, no mundo das vendas e dos negócios, nós nunca teremos este tipo de insight e nunca saberemos que, simplesmente “CORRER MAIS RÁPIDO”, não é o suficiente para te fazer correr mais rápido mesmo.

 

O QUE É RISCO?

 

E o que pode ser “desconhecido” ou “arriscado” para as empresas e para as pessoas nestas empresas? Bom, muitas coisas, mas deixe eu te dar algumas sugestões para você refletir e saber se você também não está se impedindo de enxergar onde precisa melhorar:

 

  • Treinamentos.
  • Eventos de networking.
  • Mentoria.
  • Palestras.
  • Contratar um especialista em determinada área.
  • Contratar um consultor.
  • Fazer coaching.

Essas são algumas coisas que eu, durante o meu tempo profissional, vejo como coisas que podem te ajudar a enxergar melhor, ampliar a sua visão das coisas, mas que a maioria das pessoas evita participar pensando que são perda de tempo ou de dinheiro.

 

Aposto que este não é o seu caso, já que você está aqui, lendo este artigo, mas é possível que você conheça alguém que seja assim. Neste caso, eu peço para que você ajude essa pessoa a sair desta zona de cegueira e ENXERGAR.

 

Lembre, os seus hábitos, que são desenvolvidos, em parte, pela sua amplitude de visão, te levaram exatamente até onde você está. É aí que você quer ficar, ou você quer mais?

 

SE QUISER MAIS.

 

Se você quer mais, lembre que dia 27/10/2017 às 19:00, no Nex Coworking em Curitiba, eu e mais 3 profissionais de outras áreas vamos sediar uma mesa redonda sobre negócios.

 

Serão 4 áreas representadas: Marketing, Gestão Financeira, Direito Empresarial e, é claro, Vendas.

 

Nós vamos responder perguntas, estudar casos e dar orientações práticas para você guiar o seu negócio na direção certa.

 

Eu desconheço oportunidade melhor de você ampliar a sua visão nestas 4 áreas, em uma noite. Tanto desconheço que tive que participar de sua criação.

 

Se você quer participar, é só clicar aqui e garantir o seu ingresso!

 

Tem uma pergunta em mente e quer garantir que ela seja respondida no evento? Clique em “contato”, no topo do site, e mande ela para mim! Quanto antes você mandar, melhor!

 

Te vejo lá.